domingo, 29 de junho de 2008


CRÉU, CRÉU, CRÉU OU A REGRESSÃO DA LINGUAGEM



A dança do créu é aparentemente uma musiquinha inocente em que um DJ vai falando e incitando as pessoas a dançar. Ele vai aumentando a velocidade e repetindo "créu, créu, créu" em velocidade cada vez maior que os dançarinos têm que acompanhar.

Como brincadeira é algo divertido e como exercício aeróbico é extremamente interessante para queimar calorias.

Agora vamos pensar do ponto de vista linguístico: o que significa a palavra "créu"? Ela não está dicionarizada, embora já faça parte da boca do povo há um tempão. Nunca foi usada assim sozinha, mas sempre com um verbo junto: a expressão é "dar um créu" que pode significar apertar, intimidar, agarrar, forçar ou até mesmo com conotação sexual, uma gíria para a transa, a cópula.
Assim podemos dizer que o significado dessa "música" tem um sentido sexual, embora o seu autor, Sérgio Costa, o MC Créu, diga que a tenha criado a partir de uma fala de seu filho que 7 anos que dizia "créu, créu, créu". Depois dessa iluminação ele criou a letra, colocou umas mocinhas com atributos interessantes e extremamente inteligentes para criar novas e criativas coreografias que mostram o quanto contribuem para valorizar a mulher e voilá! Estava criado o hit do momento! E de repente todo mundo começa repetindo a grande e iluminada frase "créu, créu, créu" à exaustão. Até criancinhas que mal começaram a falar repetem incessantemente o refrão.
É aí que paramos para pensar: o que ocorre? Que estranho fenômeno é esse que faz com as pessoas fiquem repetindo sons que mais parecem grunhidos?Isso não é algo novo. A cada verão surge um grupelho novo com um tipo desse de som e de coreografia para aquecer a estação e duram exatamente esse tempo: uma estação. Porém, a mídia explora ao máximo esse momento e usa esses grupos e suas garotas como um creme dental, espremendo até o fim. Quando acaba, jogam fora mas arrumam outro para substituir. É o mesmo velho com cara nova. Mas isso só ocorre porque encontra eco nas pessoas que consomem essa mídia, porque se não encontrassem, não haveria tanto sucesso.

O que nos leva à nossa reflexão sobre a regressão da linguagem. Parece que há um retrocesso do pensamento e da linguagem, pois surgem letras vazias, desprovidas de sentido, mas que chamam a atenção pelo ritmo e é aí que todos repetem, mecanicamente, como se fosse apenas um som, um eco.

Onde foi parar a criatividade?

2 comentários:

berto xxx disse...

nice blog isnt it?


berto xxx

Anônimo disse...

Obrigado por Blog intiresny