quinta-feira, 1 de maio de 2008

Encasulando


ENCASULANDO


Dentro do casulo
O bicho-da-seda
Constrói sua trama
Que se transforma
Em pura seda.
Findo o trabalho
Sai do casulo
Feito borboleta.

No calor do mundo interno
Os fios da seda
Vão se entrelaçando
Formando um único tecido:
As dores e alegrias
Angústias e prazeres
Momentos fugazes...
Formam a trama
Que se enroscando
Vai
Construindo a borboleta-mulher:
Butterfly!

Um comentário:

Edson disse...

O entrelaçar dos átomos que, transformados em moléculas transmutadas em um novo e singular ser... que, no entanto, já existia em si mesmo, indefinido e perene porque eterno...

Beijos amor,

Belo poema!